Um ex-vendedor de eletrodomésticos do Walmart será indenizado em R$ 6 mil por danos morais pela empresa após o gerente de um dos supermercados da rede aplicar “castiguinhos” quando as metas de vendas não eram cumpridas.

A decisão é da Segunda Turma do Tribunal Superior do Trabalho (TST) manteve em vigor decisão do Tribunal Regional do Trabalho da 9ª Região (PR), apesar do recurso interposto pela WMS Supermercados do Brasil Ltda. a que havia condenado a empresa a indenizar em R$ 6 mil por danos morais.

O vendedor contou que trabalhou para a empresa por quatro anos, sendo remunerado com salário fixo mais comissões variáveis mensais. Em seus últimos meses de trabalho, o gerente passou a aplicar punições quando ele não conseguia atingir as metas de venda determinadas pela empresa. De acordo com o vendedor, a humilhação a que era exposto “chegou ao extremo” quando o gerente, como punição, obrigou que ele fizesse a limpeza do chão do supermercado juntamente com o zelador – e descarregasse os caminhões de entrega de produtos.

Diante dos fatos, o ex-funcionário diz que passou a apresentar um quadro de ansiedade, depressão, hipertensão, e até síndrome do pânico, indo diversas vezes ao banheiro durante o seu turno de trabalho para chorar, já que as punições eram de conhecimento de todos que trabalhavam no supermercado. Diante disso, ingressou com reclamação trabalhista pedindo indenização por dano moral. Em sua defesa, a empresa negou que tenha exposto o vendedor a situação vexatória diante de terceiros ou de colegas de trabalho. Após analisar as provas, a Vara do Trabalho de Umuarama (PR) entendeu que era fato incontroverso que o autor havia sido exposto a situação que geraria a indenização por dano moral e, portanto, condenou a empresa ao pagamento de indenização no valor de R$ 6 mil.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *